Jaraguá Futsal é superado pelo JEC e cai na semifinal do Estadual

dsc_3162-site-min

A temporada 2016 acabou para o Jaraguá Futsal.

Na noite desta segunda-feira (5), não faltou disposição e raça para o aurinegro contra o Joinville, pelo duelo de volta das semifinais do Campeonato Catarinense. Porém, com uma atuação taticamente abaixo do esperado, o time comandado pelo técnico Sergio Lacerda acabou sendo derrotado pelo maior rival por 3 a 1, na Arena, e deu adeus ao sonho do décimo título estadual. O jogo de ida havia terminado empatado em 1 a 1, no Centreventos Cau Hansen.

Ao som de ‘Vamo, vamo Chape’ ecoado pelos torcedores presentes na Arena, as duas equipes entraram em quadra prestando homenagens ao Verdão. Os jaraguaenses vestiram um uniforme todo verde, os joinvilenses utilizaram o escudo da Chapecoense na parte central da camisa em apoio ao time do Oeste. Depois, o minuto de silêncio foi respeitado à risca, enquanto uma faixa foi estendida com os dizeres ‘Hoje o futebol não tem cor, não tem camisa, não tem hino…Força Chape!’.

Com a bola rolando, o Jaraguá criou a primeira chance de perigo, logo no minuto inicial, em chute de Yuri que passou perto da trave direita, assustando Dudu. O Joinville respondeu um minuto mais tarde, em dois lances seguidos de Fernando, mas Rennan apareceu bem em ambas para evitar o gol. Porém, o camisa 91 nada pôde fazer, aos 3, quando Eka aproveitou cobrança de escanteio e, de primeira, acertou um lindo chute no ângulo para abrir o placar. Com a desvantagem, o aurinegro adiantou a marcação e foi em busca do empate, mas os visitantes levavam perigo nos contra-ataques.

E foi assim, que o tricolor chegou ao segundo gol. Aos 13, a zaga do Jaraguá bobeou e Xuxa deixou Fellipe Mello sozinho na grande área, que sem goleiro, só empurrou para as redes. O gol abalou a equipe jaraguaense, que nervoso em quadra passou a errar muitos passes e produzindo pouco ofensivamente. Mas faltando 30 segundos para o fim do primeiro tempo, o JEC cometeu a sexta falta e na cobrança do tiro livre direto, Valença chutou por baixo das pernas de Dudu, diminuindo o prejuízo antes do intervalo.

Precisando de mais um gol para forçar a prorrogação, o Jaraguá voltou melhor no segundo tempo e quase chegou a igualdade em lances de Daniel e Ceccatto, que se posicionaram bem na segunda trave, após boa troca de passes, mas a defesa joinvilense conseguiu cortar para escanteio. A partir daí, o clássico ficou frenético e as duas equipes criaram grandes oportunidades para marcar o gol. Na mais perigosa, aos 15, Alemão puxou ataque e deixou Well na cara de Dudu. O camisa 8 tocou por cobertura e a bola triscou o travessão. Faltando três minutos para o apito final, o técnico Sergio Lacerda apostou em Ceccatto como goleiro linhas. Mas não surtiu efeito. Pior, aos 19 minutos, em um erro na troca de passes, o ala Dian, ex-Jaraguá, roubou a bola no meio da quadra e tocou para o gol vazio, decretando a vitória do Joinville por 3 a 1.

“Temos que lamentar a derrota e por ser uma eliminação. Mas antes de qualquer coisa temos que dar parabéns para o nosso grupo, que durante todo ano, aguentou as dificuldades fora de quadra e sempre jogou com raça e determinação a essa camisa. O resultado é detalhe do jogo e qualquer um poderia sair vitorioso no clássico, infelizmente foram eles (Joinville)”, disse o ala Yuri. “Eles foram mais competentes e tiveram mais facilidade para buscar o gol. Criamos algumas chances no segundo tempo, mas fazendo força para jogar. Não tivemos o volume que sempre apresentamos, mas não faltou luta do grupo. O Joinville foi mais eficiente nas chances que teve e saiu com a vitória”, avaliou o treinador Lacerda.

Fixo Alemão é o primeiro a deixar o clube para 2017

Com a eliminação, o Jaraguá Futsal se despede de 2016 com o título da Copa dos Campeões, um vice-campeonato da Libertadores, quedas na fase de grupo da Taça Brasil e oitavas de final da Liga Nacional, além da quarta colocação no Catarinense. Agora, sem compromissos até o fim de dezembro, o momento passa a ser de especulações sobre o futuro do clube. A primeira confirmação é a saída do fixo Alemão.

Ao fim da partida, o camisa 51 confirmou o acerto com a equipe do Carlos Barbosa e irá defender a equipe gaúcha no ano que vem. “Acabei acertando com a ACBF. Infelizmente, o Jaraguá ainda não tem um futuro definido e estão lutando para manter o projeto. Eu não podia esperar e a proposta do Carlos Barbosa é boa para eu e minha família. Então hoje foi meu último jogo e quem sabe um dia eu possa voltar e chegar em outra final como a gente esperava”, afirmou.

Já o goleiro e gestor Franklin, mantém a confiança na permanência da equipe para 2017. Depois de anunciar o acerto com a Progressul, ele confirmou negociação com uma construtora e duas empresas de segurança, no caso a Orsegups e FT. “As conversas estão em andamento. É uma forma de patrocínio que vai agregar valores para eles e para nós também. Então já apresentamos o projeto e estamos esperando um retorno nos próximos dias”, destacou Franklin, que também ressaltou um acordo apalavrado com a Sicredi. “A Fakini na figura do Moacir e seu filho Francis deixaram o negócio apalavrado, porque estamos aguardando as outras empresas virem e fazer a transição da diretoria. Acredito que vamos ter um futuro mais digno do que estamos passando, com as dividas pagas e uma equipe para disputar a Liga Nacional”, finalizou.

Fonte: Agência de Noticias Avante