1º de dezembro marca o Dia Mundial da Luta contra a Aids


 

O Dia Mundial da Luta contra a Aids, a ser comemorado neste domingo, em 1º de dezembro, foi instituído em 1987 pela Assembleia Geral da ONU Organização das Nações Unidas). A data surgiu como uma forma de reforçar a solidariedade, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV. Ao longo destes anos foram realizadas campanhas com o objetivo de divulgar informações adequadas como enfrentamento ao estigma e discriminação que sempre foram dois grandes obstáculos à prevenção do HIV. No início da história da Aids, receber um diagnóstico era algo que causava pânico, pois estava associado à morte. Muitas mudanças aconteceram depois de mais de 30 anos como a evolução do tratamento, novas tecnologias disponíveis para a prevenção mas, apesar de todas as descobertas e evoluções, duas grandes dificuldades a serem enfrentadas continuam sendo o estigma e o preconceito. O preconceito impede que pessoas que vivem bem e saudáveis com o HIV consigam falar para os amigos, colegas de trabalho ou na própria família sobre sua condição. Muitas pessoas ainda não sabem que uma pessoa que descobre o HIV e que faz o tratamento adequadamente pode ter uma vida saudável, continuar trabalhando, namorando, planejando e vivendo como grande parte das pessoas. Ainda que hoje muitas pessoas conheçam as formas de transmissão e saibam que não existem mais grupos de risco, há muitas concepções equivocadas e falta de conhecimento sobre novas tecnologias que estão à disposição na resposta ao HIV/Aids, tanto na prevenção quanto no tratamento às pessoas que se infectaram. Por isso, em alusão ao Dia Mundial da Luta Contra a Aids, a Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul está lançando uma campanha composta por um vídeo, informando que os atuais recursos para o tratamento permitem uma vida sem limitações e que a convivência com pessoas com HIV não traz riscos, que compartilhar ambientes e demonstrar afeto é perfeitamente seguro. Alerta, ainda, sobre ficar atento às formas de prevenção, utilizando-as adequadamente, mas sem medo. O objetivo é que as pessoas que tenham acesso ao vídeo reflitam, sejam sensibilizadas e compartilhem a informação.

HIV e Aids em Jaraguá do Sul

As pessoas que vivem com HIV ou Aids em Jaraguá do Sul têm a assistência ao tratamento realizado no SAE – Serviço de Atenção Especializada em HIV/Aids e Hepatites Virais. No local também são atendidos pacientes de Guaramirim, Corupá, Schroeder e Massaranduba. O serviço atende com uma equipe formada por enfermeira, recepcionista, médico infectologista, médica pediatra, técnica de enfermagem, psicóloga, assistente social e farmacêutica. Atualmente, o diagnóstico é realizado com o uso do Teste Rápido que está disponível em todas as Unidades de Saúde, hospitais e no CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento. Ao receber um diagnóstico de HIV o paciente é acolhido pela psicóloga e orientado sobre os próximos passos para o seu tratamento, como exames laboratoriais, consultas de enfermagem e com médico, dispensação de medicação pela farmacêutica, questões de garantia de direitos com assistente social e demais encaminhamento que fizerem necessários. Além do SAE, Jaraguá do Sul também tem o CTA – Centro de Testagem e Aconselhamento, com uma equipe formada por psicólogo, psicóloga, auxiliar administrativo, técnica de enfermagem, enfermeira, recepcionista e que é responsável pelas ações de prevenção às IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis), ao HIV e Hepatites Virais. Como estratégia de prevenção o CTA incentiva e realiza a testagem, realiza ações extramuro como palestras e oficinas, fornece insumos como preservativos masculinos e femininos para empresas, casas noturnas, comunidades terapêuticas, Unidades de Saúde, abrigos e escolas.

Os números em Jaraguá do Sul

Antes do ano de 2014 somente os casos de Aids eram de notificação compulsória, a partir daquele ano, passam também a ser notificados os casos de HIV. De 2014 para 2015 houve um aumento de casos notificados tanto de Aids quanto de HIV, representando um percentual de aumento de 57% e 26%, respectivamente. Em 2016 houve uma redução no número de casos notificados, tanto de Aids quanto de HIV, representando um percentual de queda de 30% e 44%, respectivamente. Em 2017 foram 52 casos notificados de Aids e 49 casos de HIV. Em 2018 foram notificados 35 casos novos de Aids, representando um percentual de queda de 32%. Foram notificados no mesmo ano 37 casos novos de HIV, representando um percentual de queda de 24% de um ano para o outro. Foi considerável nos últimos anos a ampliação da testagem rápida para HIV no município, com a realização de ações de testagem rápida em praças, empresas, escolas técnicas e faculdades, capacitação dos profissionais da saúde, a organização da logística da distribuição dos testes rápidos. (Fonte: boletim epidemiológico – junho/19).

Informações sobre as notificações de HIV/Aids (Cadastrados no Sinan até 21/10/2019):

*O que é HIV?

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter Aids. É possível viver muitos anos com o HIV sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, que é a Aids. Mesmo não estando doente, a pessoa infectada pode transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomadas às devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

*Como transmite
-Transmissão sexual: relação sexual sem uso de preservativo;
-Transmissão por contato com sangue, por meio de compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam;
-Transmissão vertical (da mãe para o bebê): pode ocorrer durante a gravidez, parto ou amamentação.
-A transmissão por meio de transfusão de sangue ou hemoderivados, muito comum no passado é atualmente considerada rara. Isso se dá pelo fato de atualmente haver um maior controle, com a melhoria das tecnologias de triagem de doadores e sistemas de controle de qualidade mais eficientes.

*Como não transmite
-Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
-Masturbação a dois;
-Beijo no rosto ou na boca;
-Suor e lágrima;
-Picada de inseto;
-Aperto de mão ou abraço;
-Sabonete/toalha/lençóis;
-Talheres/copos;
-Assento de ônibus;
-Piscina;
-Banheiro;
-Doação de sangue;
-Pelo ar.

* (Referência: extraído de http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral)

Fonte: Prefeitura de Jaraguá do Sul/RBN94,3