Casos de H1N1 aumentam em SC

Vacina é indicada para professores, auxiliares de sala, crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas com doenças crônicas, gestantes, profissionais de saúde e idosos
Vacina é indicada para professores, auxiliares de sala, crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas com doenças crônicas, gestantes, profissionais de saúde e idosos

Jaraguaense está entre os pacientes que faleceram 

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica(Dive) contabilizou 26 casos confirmados de H1N1 no Estado, de 30 de dezembro de 2018 a 10 de maio de 2019. Também informou que três pessoas  acabaram morrendo em razão do vírus.

Neste período, foram notificados 345 casos suspeitos de síndrome respiratória aguda grave(SRAG) em Santa Catarina. Destes, 32 (9,3%) foram confirmados para influenza, sendo 6 (18,8%) pelo vírus A (H3N2). Outros 201 (58,3%) casos de SRAG tiveram resultado negativo para influenza A e B (SRAG não especificada), 70 (20,3%) casos de SRAG foram ocasionados por outro vírus respiratório e 42 (12,2%) casos se encontram em investigação, aguardando confirmação laboratorial.

Os municípios que apresentaram casos confirmados de SRAG pelo vírus influenza foram: Blumenau com 6 casos; Florianópolis, com 4 casos; Chapecó, Itajaí e Joinville, com 3 casos cada; Jaraguá do Sul e Tubarão, com 2 casos cada; Braço do Norte, Brusque, Camboriú, Criciúma, Lages, Maravilha, Palhoça, Pomerode e São José, com 1 caso cada.

Em relação à idade, os casos de SRAG confirmados por influenza acometeram indivíduos nas faixas etárias entre menor de 2 anos (2 casos); de 2 a 4 anos (2 casos); de 5 a 9 anos (1 caso); de 10 a 19 (2 casos); de 20 a 29 anos (1 caso); de 30 a 39 anos (2 casos); de 40 a 49 anos (6 casos); de 50 a 59 (6 casos) e acima de 60 anos (10 casos).

Informações do site da Dive