Florianópolis, Criciúma e Antônio Carlos registram primeiras mortes por coronavírus

97c17616-fd95-4c64-93c5-757a67b55308 (1)

As cidades de Florianópolis, Criciúma e Antônio Carlos registraram nesta quinta-feira (2) as primeiras mortes provocadas pelo novo coronavírus. No total, agora são cinco as vítimas fatais da Covid-19 em Santa Catarina, sendo todas pessoas idosas. Em situação de emergência, o estado tem 281 casos da doença e impôs regime de quarentena. A moradora da capital tinha 87 anos e estava internada em um hospital particular em São José, na Grande Florianópolis. Ainda não foram dados mais detalhes sobre a vítima. Florianópolis tem 60 pacientes com Covid-19. Em Criciúma, no Sul do estado, a prefeitura informou que a vítima é um homem de 73 anos que morreu na quarta (1º) numa unidade hospitalar do município, e cujo resultado positivo para coronavírus saiu nesta quinta. A quinta vítima é uma mulher 66 anos que morreu nesta quinta no Hospital Regional de Biguaçu, na Grande Florianópolis. Ela morava em Antônio Carlos, na mesma região, no mesmo asilo onde vivia um idoso de 86 anos que foi a primeira pessoa a morrer de Covid-19 no estado. Nesse mesmo asilo, a prefeitura de Antônio Carlos informou que outros seis idosos que vivem no lugar, assim como um funcionário, estão com a doença. Foram disponibilizados 31 resultados, sendo 49 a quantidade de pessoas com material coletado.

Primeiras mortes

As duas primeiras mortes no estado foram na semana passada em São José, onde estava internado o homem morador de um asilo de Antônio Carlos, e em Joinville, no Norte catarinense, tendo como vítima um idoso de 68 anos que estava hospitalizado.

Testes e subnotificação

Em entrevista nesta quinta-feira (2) ao Jornal do Almoço, o governador Carlos Moisés (PSL) disse que o estado tem 1,1 mil casos suspeitos aguardando resultado dos testes. Segundo ele, já foram feitas 2,9 mil coletas e emitidos 1,8 mil resultados. Assim como outros estados, Santa Catarina tem casos subnotificados da Covid-19, já que enfrenta escassez de testes para detecção da doença e porque os exames têm sido feitos somente em casos graves.

Fonte: G1-sc