Pagamento atrasado de férias em Corupá: “se tiver que pagar ações na hora, pode fechar as portas”, afirma prefeito

Prefeito Gottardi acusa, "usou o dinheiro para outras coisas". Foto: Emerson Gonçalves
Prefeito Gottardi acusa, "usou o dinheiro para outras coisas". Foto: Emerson Gonçalves

O prefeito de Corupá João Carlos Gottardi(PSD), convocou a imprensa na manhã de segunda-feira, para denunciar o que chamou de “incompetência” do ex-prefeito Luiz Carlos Tamanine(MDB). O pagamento atrasado de férias na gestão do ex-prefeito provocou uma avalanche de ações contra a prefeitura de Corupá. Conforme o prefeito Gottardi, a situação ficou mais grave porque os servidores entraram com uma ação coletiva e a prefeitura já perdeu nas três instâncias, com a dívida passando de R$ 4 milhões. O prefeito Gottardi afirma que a prefeitura não tem esse dinheiro. Diz que foi incompetência do ex-prefeito Tamanini e deixa a modéstia de lado, dizendo que ele, João Carlos Gottardi, é um prefeito organizado.

O ex-prefeito Luiz Carlos Tamanini, enviou resposta pelo whatsapp, e argumenta que precatório judicial em prefeitura sempre terá, e diz que quando foi prefeito foram pagos muitos deles, inclusive de valores altos chegando a R$ 500 mil só para um funcionário. E relata falhas no processo: “quanto a ação coletiva do sindicato verifiquei que tem falhas no processo no ano de 2018, onde os responsáveis do município não cumpriram prazos estabelecidos pela justiça”. Afirma que foram pagas as férias com alguns dias de atraso, mas foram pagas e diz que esse caso deve entrar em precatório para 2021/2022, isto é, o próximo prefeito é que irá iniciar o pagamento das ações.