Prefeitura de Jaraguá do Sul quer acabar com recesso de fim de ano dos servidores

Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul
Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul

Mais um round na luta entre servidores e administração municipal de Jaraguá do Sul, que iniciou no começo da gestão do prefeito Antídio Lunelli(MDB): o fim do recesso, popular ponto facultativo de fim de ano, dos mais de 4 mil servidores da prefeitura. Projeto de lei complementar foi enviado à Câmara de Vereadores, revogando artigo da lei municipal de 2014, que dispõem sobre o Regime Jurídico dos Servidores Públicos e instituiu o benefício do recesso de fim de ano, entre os dias 24 de dezembro e 1º de janeiro de cada ano. Justificando a alteração e o fim do recesso, a prefeitura diz que, “a revogação do período de recesso dá-se como medida de genuíno interesse público coletivo, eis que se ampliará o horário de atendimento ao público e as portas do Paço fecharão apenas em período de férias coletivas”. A expectativa fica por conta do posicionamento dos vereadores em um ano de eleições municipais: perder a possibilidade de voto de aproximadamente de dez mil eleitores(servidores e familiares) ou de cerca de 100 mil eleitores(eleição de 2016 para prefeito).

DERROTA EM 2018

O fim do recesso dos servidores da prefeitura municipal é uma promessa de campanha do prefeito Antídio Lunelli(MDB) e ele já tentou isso em julho de 2018, quando enviou um projeto de lei ao legislativo, acabando com o benefício. Naquela oportunidade, o projeto de lei foi rejeitado graças ao voto do vereador Jackson José de Ávila(MDB), aliado do prefeito, porque não obteve seis votos entre os 11 vereadores, maioria absoluta necessária para este tipo de projeto de lei.