Protesto dos caminhoneiros em SC chega ao 7º dia com manifestações

Foto: Vanessa Nora/NSC TV
Foto: Vanessa Nora/NSC TV

Neste domingo (27), a greve dos caminhoneiros contra a alta do preço do diesel chega ao 7º dia. Segundo Polícia Rodoviária Federal (PRF), até a noite de sábado (26) eram 67 pontos de manifestações em rodovias federais. De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRV), por volta das 8h deste domingo eram 69 pontos de protesto em rodovias estaduais.

Na sexta (25), o governador Pinho Moreira (MDB) preferiu não usar as forças federais para desmobilizar os manifestantes, apesar do pedido do presidente Michel Temer (MDB).

A paralisação tem provocado falta de combustíveis em postos e alterações em horários de circulação de ônibus do transporte público em diversas cidades do estado. Supermercados, hospitais, indústrias e a rede de ensino também sofrem reflexos da greve. Três prefeituras decretaram situação de emergência.

Manifestação

 

Moradores de Blumenau participam de uma manifestação na manhã deste domingo (27) na BR-470, no município. Em carros, bicicletas, a pé e até de carroça, eles partiram do bairro Fortaleza por volta das 9h em direção ao ponto de concentração dos caminhoneiros no Km 45 da rodovia.

A PRF não informou o número de pessoas que participaram do ato. Eles percorreram aproximadamente três quilômetros até se unirem aos grevistas e disseram que apoiam a causa do protesto dos caminhoneiros.

A manifestação foi organizada pelas redes sociais. Os participantes continuavam no local até por volta das 10h20.

Prejuízos

 

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis) calcula que o prejuízo total dos postos da Grande Florianópolis ultrapasse R$ 1 milhão por dia, após deixarem de receber e comercializar combustíveis.

Já a Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) calcula que os prejuízos já passam dos R$ 200 milhões. Ainda não há estimativa total das perdas como um todo do setor produtivo.

Combustíveis

 

Em Santa Catarina, 254 dos 295 municípios relataram problemas de abastecimento de combustíveis, conforme dados do governo estadual divulgados na sexta. Em Florianópolis, não há mais combustíveis nos postos, assim como em Blumenau.

Alimentos

 

As Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa-SC) dizem que há desabastecimento de aproximadamente 85%. A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) informou que já há falta de vários produtos nos estabelecimentos. Sem produtos, a Ceasa de Joinville foi fechada.

Transporte público

 

Em Florianópolis, o transporte coletivo neste fim de semana funciona com horário de domingo. Caminhoneiros liberaram a passagem de combustíveis para abastecer a frota da capital e das linhas intermunicipais da Grande Florianópolis. Na segunda-feira (28), a operação será com horários de sábado para o convencional, enquanto os executivos (amarelinhos) estarão suspensos.

Blumenau, Rio do Sul, Chapecó e Balneário Camboriú não terão ônibus neste domingo. Em Criciúma, há redução nos horários.

São José, somente a linha Diretão, que abrange a maior área do município, está em circulação. As demais linhas estão suspensas até o fim da greve dos caminhoneiros.

Aeroportos

 

Os principais aeroportos do estado continuam funcionando neste domingo, mas na maioria só podem pousar os aviões que estiverem abastecidos para voltar. Este é o caso de Joinville e Jaguaruna, que estão sem combustível desde sexta (25).

Em Chapecó, são abastecidas apenas aeronaves de emergência. Em nenhum aeroporto do estado houve cancelamento de voos de origem.

Além de Florianópolis, o aeroporto internacional de Navegantes também conseguiu abastecer no sábado. Mas nos dois, o combustível deve durar só até o fim do dia. Por garantia, a orientação para os passageiros é que liguem para suas companhias aéreas para checar as informações sobre os voos.

Na capital, um voo que vinha de Porto Alegre foi cancelado e outro voo que deveria ter chegado às 8h de Guarulhos, da Avianca, está atrasado e deve chegar às 10h.

Saúde

 

As cirurgias eletivas (agendadas) estão suspensas na rede estadual, que tem 13 hospitais próprios. Os procedimentos cirúrgicos serão reagendados.

Todos os cinco hospitais particulares da Grande Florianópolis decidiram neste sábado cancelar as cirurgias eletivas. Outros dez hospitais filantrópicos ou privados também suspenderam as cirurgias eletivas, informou a Associação e Federações dos Hospitais de Santa Catarina.

A greve dos caminhoneiros impede que materiais e remédios sejam entregues regularmente. Outras unidades também enfrentam dificuldades por causa dessa situação.

Coleta de lixo e serviços públicos

 

Em Florianópolis, a coleta de lixo, que havia sido alterada, voltou a operar na noite de sexta, após negociação da prefeitura com caminhoneiros para liberação de combustíveis. Blumenau e São Joaquim também tiveram serviços afetados. Boa parte das prefeituras do estado interrompeu obras que utilizam máquinas pesadas para garantir gasolina.

Em Jaraguá do Sul, a coleta de lixo foi paralisada temporariamente e a orientação é que a população não coloque os sacos de lixo orgânicos nas calçadas, para evitar a proliferação de vetores e animais.

Indústria

 

A Aurora de Chapecó e a BRF de Concórdia e Itapiranga suspenderam o abate. Ao menos 20 mil propriedades rurais e 20 indústrias de Santa Catarina foram impactadas pela greve dos caminhoneiros.

Nesse sábado caminhões de ração começaram a ser escoltados. Eles recebem um adesivo indicativo da Defesa Civil. De acordo com o Sindicado Regional de Aves e Suínos, alguns animais já estavam a 48 horas sem alimentos.

Energia e abastecimento (água e luz)

 

A Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) emitiu comunicado na tarde de quinta para que a população que diminua o consumo de água tratada, porque o abastecimento dos produtos necessários para tratamento está comprometido. O estoque atual é suficiente para mais alguns dias.

No sábado, uma carga de produtos químicos para Casana foi levada com escola para Chapecó para tratamento da água por pelo menos 10 dias.

Estradas federais

 

Conforme a última atualização da Polícia Rodoviária Federal (PRF-SC), feito na noite de sábado, são 67 pontos com manifestação dos caminhoneiros. A PRF não disponibilizou a relação de pontos interditados.

Estradas estaduais

 

As rodovias estaduais catarinenses contabilizam 69 pontos de atenção, segundo boletim divulgado pela Polícia Militar Rodoviária (PMRv) às 8h05 deste domingo.

Fonte: G1/SC