Sem reajuste salarial, servidores públicos não descartam retomar a greve em Jaraguá do Sul

reuniao

Foto: Sinsep/Divulgação

0% de reajuste salarial. Este foi o índice proposto pela administração Antídio Lunelli e Udo Wagner aos servidores jaraguaenses para fechamento da negociação coletiva de trabalho da categoria, que tem data-base em 1º de abril, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinsep).

A proposta deixou indignados os diretores do Sinsep e o restante da comissão de servidores que participaram da rodada de negociação realizada na manhã de hoje (20), no gabinete do prefeito, que não compareceu à audiência. Em seu lugar estiveram o secretário de Administração, Argos Burgardt, a chefe de gabinete Manuela Wulf, o procurador do município, advogado Benedito Noronha e a assessora de gabinete Ivana Atanásio Dias. O encaminhamento em relação à proposta feita pela Prefeitura será decidido na Assembleia Geral marcada para as 18 horas do dia 27 de abril, na Arsepum (Associação Recreativa dos Servidores Públicos Municipais), não estando descartado a retomada da greve.

Conforme o Sinsep, a reivindicação dos servidores é de 8,5% de reajuste salarial e foi aprovada durante a Assembleia Geral da categoria, ocorrida no dia 21 de fevereiro. Esta foi a única rodada de negociação com a administração municipal realizada até agora para debater a correção anual de salários. No percentual reivindicado pela categoria estão os 4,57% de inflação dos últimos 12 meses, mais os 2,72% de inflação não repassados no último ano de mandato do ex-prefeito Dieter Jansen, e um ganho real mínimo aos salários. “Em todos os demais municípios da nossa região o Sinsep já conseguiu negociar pelo menos a reposição integral da inflação aos salários. É inadmissível que a administração de Jaraguá do Sul esteja propondo reajuste zero para os servidores”, critica o presidente do Sinsep, Luiz Cezar Schorner.