Vereadores discutem flexibilização da lei do nepotismo em Jaraguá do Sul

Vereador Marcelindo Gruner (PTB) é um dos autores do projeto l Foto Divulgação
Vereador Marcelindo Gruner (PTB) é um dos autores do projeto l Foto Divulgação

Pelo placar de 8 votos a favor e 1 contra, o projeto de emenda à lei orgânica nº 2/2018 foi aprovado. O projeto tem autoria dos vereadores Celestino Klinkoski (PP), Eugênio José Juraszek (PP), Isair Moser (PSDB), Jaime Negherbon (PMDB) e Marcelindo Grunner (PTB), que compõem a base aliada do prefeito no legislativo. Na votação, houve uma abstenção do vereador Ronaldo Magal (PSD) e  Ademar Winter (PSDB) foi o único com voto contrário. Este é o segundo projeto apresentado que altera dispositivos da lei orgânica municipal.

O primeiro, em 2010, trazia como redação: “É vedada a investidura em cargo de provimento em comissão, função de confiança ou gratificada, bem como a nomeação para cargos políticos, de cônjuges, companheiros, parentes consanguíneos ou não, em linha reta, colateral ou por afinidade até terceiro grau do Prefeito, do Vice-Prefeito, dos Vereadores, do Procurador Geral, dos Secretários Municipais, dos Diretores Municipais ou titulares de cargos equiparados, dos Presidentes, dos Vice-Presidentes de autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista ou cargos equiparados vinculados à administração direta, indireta, no âmbito do Poder Executivo e do Poder Legislativo”.

Flexibilização


 

Pela proposta que está na câmara, os servidores concursados da prefeitura, com grau de parentesco com prefeito, vice e vereadores, poderão ser nomeados para ocupar cargos comissionados na prefeitura e na câmara. Suspeita-se que a emenda tenha como único objetivo atender interesses de vereadores aliados ao prefeito, do próprio prefeito e do vice, principalmente na votação de projetos polêmicos no legislativo. Pelo menos é isso que interpreta o vereador de oposição Arlindo Rincos (PSD), afirmando que “é lamentável mas infelizmente é a política que temos hoje no Brasil”.

Um dos autores do projeto, vereador Marcelindo Gruner (PTB), conta que, em 2010, a alteração foi feita para prejudicar a prefeita Cecília Konell.

Ouça a entrevista com o vereador Marcelindo Gruner (PTB):