PM Ambiental e Fujama constatam corte ilegal de árvores

Madeiras nativas prontas para serem transportadas1

As equipes técnica e de fiscalização da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente, com o apoio da Polícia Militar Ambiental de Joinville, deflagaram mais uma ação de combate ao desmatamento clandestino em Jaraguá do Sul, que ocorreu na manhã desta quarta-feira (5).

O presidente da Fujama, Normando Zitta Júnior, informa que esta ação foi oriunda de uma suspeita inicial de desmatamento, verificada por meio de monitoramento de imagens via satélite. Com isso, foram comparadas as imagens atuais com as de períodos anteriores, que comprovaram a diminuição da área de mata em determinados locais. O desmatamento foi confirmado, também, após denúncia de moradores da região da Tifa Macuco Pequeno, no Rio da Luz.

Os fiscais da Fujama fizeram os primeiros levantamentos na área e puderam verificar o corte irregular de madeira e que o transporte clandestino se dava para o município vizinho de Rio dos Cedros. “Inclusive, o infrator estava anunciando em redes sociais a comercialização desta madeira já beneficiada”, explica o presidente da Fujama, acrescentando que está sendo investigada a documentação da serraria onde a madeira foi serrada. “Tendo em vista que as irregularidades transpuseram os limites municipais fugindo da jurisdição da Fujama, foi solicitado o apoio do 1o batalhão de Polícia Ambiental de Joinville para os encaminhamentos”, completa.

Fujama e PM Ambiental fizeram vistoria no local do corte das árvores para, em seguida, a PM Ambiental efetuar diligência à serraria em busca do caminhão que transportou as toras. A partir dali, o prosseguimento das ações se dará pelos pela PM Ambiental. Normando Zitta Júnior destaca que foram cortadas espécies nativas como licurana, garuva, canela preta e cedro, encontradas no local, sendo que as duas últimas são espécies ameaçadas de extinção gerando agravamento nas multas a serem aplicadas. “Multas estas que podem chegar a mais de R$ 500 mil”, acrescenta o presidente da Fujama.

Infrator anunciava a venda em rede social

Fotos: PMJS/Divulgação