Juventus engole o Figueirense, que dá adeus ao campeonato Catarinense

Juventus vence o Figueirense por 4 a 1 no Orlando Scarpelli – Foto: Patrick Floriani/FFC/Divulgação/ND

O Figueirense está fora do Catarinense 2020. Com uma atuação morna, o time de Márcio Coelho foi engolido pelo Moleque Travesso que aplicou 4 a 1, estraçalhou a vantagem do Furacão e garantiu vaga nas semifinais do Catarinense. O time de Jorginho aguarda o vencedor entre Brusque e Joinville para conhecer seu próximo adversário.

O jogo

Amparado pela vantagem construída na primeira partida das quartas de final, em Jaraguá do Sul, o time do Figueirense entrou em campo, de alguma forma, tranquilo. Essa tranquilidade, entretanto, foi “engolida” pelo Moleque Travesso que, com uma postura ousada e sem medo do seu adversário, rondou a área do goleiro Sidão em mais oportunidades. Prova dessa vontade ficou nos números iniciais do embate: com menos de 30 minutos de bola rolando, o time de Jorginho já acumulara quatro escanteios. O Figueirense, mandante da partida, não tinha nenhum. Esse desejo, não tardou, foi recompensado. Cobrança de falta rápida do Juventus onde a bola chegou em Itinga. Ele dominou, limpou o zagueiro Alemão da jogada e bateu firme, cruzado, sem chance para o goleiro Sidão. 1 a 0 e festa do time adversário no quarto gol do camisa 18 na competição. O atleta, que já havia marcado na partida de ida e, no entendimento do técnico Jorginho, dado vida a equipe para o segundo confronto, ainda desperdiçou uma grande oportunidade: a defesa do Figueirense, em linha na altura do meio-campo, foi surpreendida por um lançamento da defesa que o astuto Itinga conseguiu pegar, avançar, escolher o canto, mas esbarrar em Sidão.

Segunda etapa

Para quem pensou que o intervalo poderia ser bom para o Figueirense, voltou a se frustrar. Depois de um primeiro tempo “acomodado”, o time de Márcio Coelho, a favor do vento, tinha tudo para reencaminhar a partida a seu favor. Não só não conseguiu como imediatamente tomou o segundo gol: pouco mais de um minuto depois do árbitro autorizar o reinício, o time de Jorginho construiu a jogada pelo lado esquerdo: a defesa alvinegra cortou mal e Allan, da meia-lua da grande área, mandou rasteiro, no canto e sem chance para o Sidão. 2 a 0 Juventus e Figueirense parcialmente eliminado. O técnico Marcio Coelho foi obrigado a mudar: imediatamente lançou a campo os dois jogadores que foram “preteridos” em relação a primeira partida, o volante Elyeser e o atacante Everton. As mudanças deram efeito quase imediato. Escanteio batido pelo lado esquerdo, a zaga do Juventus cortou mal, Elyeser mandou para dentro da área mais uma vez e Alemão, o homem decisão, mandou para rede. O goleiro Hudson Jr ainda espalmou, mas a bola já havia ultrapassado a linha. Apesar da pressão do time da casa, foi o Juventus que marcou mais um. Em jogadaça pela esquerda com o ex-Figueira Gustavo Poffo, ele rolou no meio para Itinga, de calcanhar, encostar para Marllon, sozinho, bater firme e estufar a rede de Sidão. 3 a 1.

Pá de cal

Já nos acréscimos, com o time de Márcio Coelho todo entregue ao ataque – Alemão já tornara-se centroavante – o time de Jorginho deu uma última escotada: Jogada pela esquerda de ataque com Gustavo Poffo que passou pela marcação e teve o trabalho de rolar para Marllon marcar seu segundo na partida e fechar o caixão alvinegro. Fim de jogo no Scarpelli que não ouviu vaias, mas certamente foi para o vestiário envergonhado.

Próxima parada

O Juventus aguarda o duelo entre Brusque x JEC, que se enfrentam nesta quinta (30), a partir das 18h, no estádio Augusto Bauer, em Brusque. O time da casa, por ter vencido a primeira partida no Norte do Estado, joga pelo empate.

Fonte: ND/RBN94,3