Bolsonaro diz que Musk é ‘mito da liberdade’ e que compra do Twitter trouxe ‘sopro de esperança’


O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta-feira, 20, que a compra do Twitter por Elon Musk foi um “sopro de esperança”. A declaração ocorreu durante encontro paralelo entre o chefe do Executivo e o fundador da Tesla, que participa do evento “Conecta Amazônia”, na cidade de Porto Feliz, no interior de São Paulo. O ministro das Comunicações, Fabio Faria, estava ao lado de Bolsonaro. Em seu discurso, o presidente disse acreditar que, com Musk no comando da rede social, o Twitter investirá ainda mais na liberdade de expressão — Bolsonaro e seus apoiadores questionam algumas ações da plataforma como remover posts, acrescentar marcas de “informação falsa” ou mesmo banir usuários.

“O mais importante da presença dele é algo que é imaterial. Hoje em dia poderíamos chamá-lo de mito da liberdade. É aquilo que nos fará falta para qualquer coisa que porventura possamos pensar para o futuro”, iniciou. “O exemplo que ele nos deu há poucos dias, quando se anunciou a compra do Twitter, para nós aqui foi como um sopro de esperança. O mundo todo passa por pessoas que têm vontade de roubar essa liberdade de nós”, apontou o Bolsonaro. Para ele, a liberdade é a “semente do futuro”. Durante o “Conecta Amazônia”, o bilionário anunciou o lançamento da rede Starlink para conectar 19 mil escolas localizadas em áreas rurais e para monitorar a floresta.

Em seu discurso, o chefe do Executivo celebrou o acordo e defendeu que o projeto servirá para tornar a floresta conhecida e sanar as “mentiras” que difundem sobre a política ambiental de seu governo. “Nós pretendemos, precisamos e contamos com Elon Musk para que a Amazônia seja conhecida por todos no Brasil e no mundo. Mostrar a exuberância dessa região, como ela é preservada por nós e quanto malefício causa para nós aqueles que difundem mentiras sobre essa região”, finalizou Bolsonaro, que se disse “orgulhoso” e “feliz” com o pacto firmado com Musk. Também estiveram presentes os ministros e ministros Ciro Nogueira (Casa Civil), general Augusto Heleno (Chefe do Gabinete de Segurança Institucional), Paulo Sérgio (Defesa) e Carlos França (Relações Exteriores).

Fonte: Jovem Pan