Cobra albina capturada em Jaraguá do Sul será enviada ao Instituto Butantan


A Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) já definiu o destino da rara jararaca albina resgatada no último final de semana pelos bombeiros voluntários no bairro Jaraguá Esquerdo. O animal será transferido para as instalações do Instituto Butantan, em São Paulo.

Segundo o biólogo da Fujama, Gilberto Ademar Duwe, a transferência deverá ocorrer até novembro após da emissão de licença para o transporte por parte do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O biólogo também adiantou que a serpente encontrada em Jaraguá do Sul foi identificada como macho de sua espécie e por isso terá companhia em sua nova casa. “Ela deverá ficar junto com uma fêmea com as mesmas características (albina) para estudos científicos e também para visitação”, adiantou.

A maior parte das jararacas tem a coloração marrom com manchas triangulares escuras e região ao redor da boca com escamas de cor ocre uniforme, peculiaridades da espécie. Característica que propicia uma excelente camuflagem em meio da vegetação, principalmente para caçar. “Pelo tamanho que já atingiu, tudo leva a crer que apesar de ser albino, este animal, especificamente, conseguiu se virar bem sem esta vantagem natural”, observou anteriormente outro biólogo da Fujama, Christian Raboch.