Identificados os 11 mortos após incêndio em Carazinho


O CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) confirmou, nesta manhã de sexta-feira (24), a identidade dos 11 homens que morreram após um incêndio de grandes proporções no Centro de Tratamento e Apoio a Dependentes Químicos — CETRAT, em Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul. A tragédia aconteceu por volta das 23h de quinta-feira (23) no bairro Vila Rica.

De acordo com a Polícia Civil, ao menos 15 pessoas, todos homens, estavam no interior do centro de tratamento. Dez vítimas morreram no local. Três pessoas foram levadas para atendimento no hospital de Carazinho, no entanto, uma delas, o monitor Deive da Silva,  não resistiu aos ferimentos. As outras estão internadas e o quadro de uma delas é grave. Duas pessoas conseguiram sair sem ferimentos.

Veja o nome e a cidade das 11 vítimas:

  1. Deive da Silva, de 47 anos, natural de Santa Cruz do Sul/RS
  2. Avelino Timm, de 70 anos, natural de Campos Borges/RS
  3. Adair José Langaro Nascimento, de 29 anos, natural de Vila Langaro/RS
  4. Cesar Dutra de Andrade, de 58 anos, natural de Espumoso
  5. Gilberto Almeida de Oliveira, de 37 anos, cidade natal não informada.
  6. Luciano Serafim Lemos, de 49 anos, natural de Carazinho/RS
  7. Gilberto Soares dos Santos, de 45 anos, natural de Não-Me-Toque/RS
  8. Luiz Eduardo Ribeiro, de 32 anos, natural de Santa Cruz do Sul/RS
  9. Oscar Duranti, de 58 anos, natural de Constantina/RS
  10. Sebastião dos Santos, de 60 anos, natural de Alto Alegre/RS
  11. Idemar dos Reis, de 61 anos, natural de Carazinho/RS

A Secretaria de Desenvolvimento Social informou que arcará com as despesas do funeral para a as famílias que necessitarem, independente da cidade de origem.

Em nota, o governo federal disse acompanhar as investigações sobre as causas do incêndio. “O Ministério da Cidadania se solidariza com as pessoas em tratamento, com as famílias das vítimas e com os funcionários do Cetrat e está acompanhando de perto as investigações sobre as causas do incêndio. O Centro de Tratamento e Apoio a Dependentes Químicos (Cetrat), localizado em Carazinho (RS), recebe investimentos do Governo Federal e está em situação regular”, diz o comunicado.

O prefeito de Carazinho, Milton Schmitz , decretou luto oficial no município por três dias, em respeito às vítimas e seus familiares. “Carazinho vive um luto coletivo neste momento triste em que a tragédia se abate sobre famílias das vítimas”, disse, em nota.

Investigação

O Delegado Regional da 28ª DPRI, Jader Ribeiro Duarte, disse que o incêndio teria iniciado na fiação elétrica, mas somente com o resultado da perícia técnica e de outras provas, que já estão sendo coletadas pela Polícia Civil, é que se chegará a uma conclusão efetiva da causa.

“Todas as perícias foram solicitadas e,  agora,  está sendo realizada a perícia pelo IGP para apurar a causa do incêndio. Dois internos que conseguiram escapar sem ferimentos e uma testemunha já foram ouvidos pela Polícia Civil”, diz nota divulgada pela instituição.

O fogo começou, segundo o Corpo de Bombeiros Militar, em um dos dormitórios e atingiu também a cozinha e sala de estar do prédio localizado na rua Cláudio Santos.

As chamas foram controladas por volta da meia-noite, com ajuda de militares de folga. Foram utilizados três caminhões e 35 mil litros de água no combate.

A maioria das vítimas estava na área dos dormitórios localizada no segundo piso da instituição, que acabou cedendo em razão do fogo. Embaixo funcionava uma oficina para os internos.

Os corpos foram encontrados próximos das janelas. A Polícia Civil informou que foram recolhidos documentos das vítimas para auxiliar na identificação dos corpos.

A direção da instituição não deve se manifestar até a conclusão do trabalho da perícia.

Fonte: ND+