Antídio deixa prefeitura com 70 mil na fila da saúde, bairros sem transporte coletivo, suspeitas de corrupção no Samae e servidores em estado de greve


O até então vice-prefeito e agora Prefeito de Jaraguá do Sul, Jair Franzner, terá severos desafios a partir de agora como prefeito oficialmente de Jaraguá do Sul, empossado sem muita divulgação, sexta-feira pela manhã, na Câmara de Vereadores. Claro que a sua responsabilidade não começa agora. Ele era vice-prefeito de Antídio, ganhava um bom salário por isso e deve assumir os bônus e ônus de uma gestão que na opinião da maioria dos nossos ouvintes, deixou a desejar no atendimento das pessoas, quando se trata de saúde, social e transporte coletivo.

SAÚDE

Em dados divulgados no final do janeiro, os números totais de consultas, retornos, procedimentos e cirurgias revela que a fila de espera na saúde de Jaraguá do Sul está em constante crescimento e atinge 68.538 pessoas ou procedimentos. É um dos maiores números na história de Jaraguá do Sul.

A confirmação da elevação dos números está na comparação dos dados acessados em outros dois momentos do ano passado. Em junho de 2021, a fila alcançava o número de 65.712, passou para 67.901 em outubro e mais recentemente, em janeiro de 2002, chega a 68.538.

TRANSPORTE COLETIVO

Uma audiência pública só, realizada no dia 18 de março, não foi suficiente para discutir todas as reclamações e problemas enfrentados pela população no transporte coletivo. Lideranças comunitárias e sindicais manifestaram as dificuldades enfrentadas pela falta de itinerários, atrasos, superlotação e redução de linhas em variados bairros da cidade. No próximo encontro, marcado para 18 de abril, prefeitura, empresa e AGIR deverão apontar alguns números. Entre eles, qual seria o valor total do subsídio pretendido para melhorar o atendimento; qual seria o reajuste da passagem se não houver subsídio; e cálculos diferenciados de valor, se for o caso, para ampliação de linhas em bairros mais distantes, inclusive aos fins de semana.

SAMAE

Antídio Lunelli conseguiu evitar a criação da CPI do Samae que já tinha obtido as quatros assinaturas suficientes para a abertura do procedimento na Câmara. A articulação em negociação com os vereadores da oposição encaminhou a construção de uma comissão de investigação no SAMAE e o afastamento do então presidente, Ademir Isidoro (PP). A CPI, se fosse instalada, seria muito prejudicial para a campanha do ex-prefeito como candidato ao governo do estado.

O Ministério Público confirmou a instauração de um inquérito civil, com o número 06.2021.00002056-3, para apurar “suposta prática de atos de improbidade administrativa” com empresa contratada para a prestação de serviço. Nesse procedimento já foram realizadas as oitivas de testemunhas, requisição e documentos junto ao SAMAE e confecção, através do GAECO, de dois relatórios sobre o monitoramento de veículos da empresa contratada.

Em outra denúncia sobre serviços cobrados em desacordo com metragem maior com possível envolvimento ser servidores no suposto esquema fraudulento, houve a autuação de Notícia de Fato 01.2021.00028545-1. Sobre esta situação, o MP confirmou que a instauração de Processo Administrativo pelo SAMAE e solicitou cópias de tudo o que foi produzido pela autarquia

GREVE

O Sindicato dos Servidores Municipais anunciou na quarta-feira (31/03), a retomada do estado de greve aprovado em 2017 após a greve da categoria, no sentido de tentar a mobilizar a categoria para conseguir negociar o restante da pauta aprovada na assembleia do dia 23/02. A proposta, segundo o Sindicato, não foi de rejeitar a reposição de 11,25% e sim de considerá-la insuficiente, pois a administração não atendeu o restante da pauta dos servidores que envolvia ganho real, aumento do auxílio-alimentação e a situação das horas extras, entre outros pontos

O LADO POSITIVO DE ANTÍDIO

O ex-prefeito Antidio Lunelli e seus apoiadores destacam a construção de obras como pontos positivos. Os investimentos foram importantes e estão relacionados aos setores de lazer e infra-estrutura. No lazer, destacam-se a construção da Via Verde e do Parque da Inovação. No caso da Via Verde, o projeto foi iniciado ainda antes na gestão de Dieter Janssen e uma parte dos recursos é oriundo de uma multa ambiental aplicada pelo Ministério Público. Outro ponto destacado pelo ex-prefeito se refere ao grande número de ruas pavimentadas.

DÍVIDAS

Os  opositores de Antidio garantem que as obras somente foram possível devido ao volume de endividamento feito pelo Executivo nesta gestão.

Em 2018, na primeira gestão de Antídio, a Câmara aprovou um projeto de lei autorizando empréstimo junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina, no valor de 55 milhões de dólares para investimentos em infraestrutura. O financiamento teria quatro anos de carência e 18 anos para pagamento. Em função da polêmica criada, o empréstimo não foi concretizado.

Mais tarde outros valores junto a bancos nacionais foram efetivados. O último foi de 100 milhões de reais e foi assinando com a Caixa Econômica Federal por meio do Finisa em novembro do ano passado.

No ano passado, o vereador Rodrigo Livramento questionou na tribuna e lembrou que Antidio reclamava de uma dívida de 60 milhões herdada do ex-prefeito Dieter Janssen e que deveria deixar um endividamento superior a 400 milhões para o prefeito que o sucedesse, além de outros 826 milhões da Previdência, o que totalizaria cerca de 1,3 bilhão.