Pressão política pode ter infuenciado nova mudança na presidência do Samae


Foi confirmada nesta sexta-feira a informação antecipada pelo jornalismo da RBN na quarta-feira à noite e repercutida durante o feriado. Gustavo Roweder não é mais presidente do SAMAE.  O “novo” presidente deixa o cargo antes de completar três meses desde a posse. Sua entrada, em 18 de março, ocorreu depois do afastamento do então presidente, Ademir Isidoro, e várias denúncias de supostos atos de corrupção e desvios de materiais públicos. As investigações prosseguem no Ministério Público e em outros procedimentos internos.

A saída de Roweder foi destacada nas redes sociais pelos vereadores Jeferson Cardozo (PL) e Rodrigo Livramento (NOVO). No feriado, os dois parlamentares participaram do Programa Plantão do Meio-dia. Livramento lamentou a saída e questionou pressão e interferência política contra o que definiu como “bom trabalho” de Roweder em seu curto período de gestão.

Vereador Rodrigo Livramento (NOVO)

Jeferson Cardozo anunciou a retomada da discussão sobre a CPI do Samae. Chegou a dizer que Roweder estava estacando os desvios da autarquia e acrescentou que não tem dúvida de que ele tenha sofrido interferência externa e pressão contra as investigações e ao “trabalho sério” que estava desenvolvendo.

Vereador Jeferson Cardozo (PL)

Na manhã de quinta-feira, a Prefeitura informou através do seu grupo de imprensa a saída de Roweder, anunciando que o cargo será ocupado por Alceu Moretti, que deixará a Secretaria da Saúde.

A reportagem da RBN procurou Gustavo Roweder, que respondeu ao contato informando que estava em viagem com a família, agradeceu o espaço para  manifestação mas declarou que deve fazer isso “em momento oportuno”, acrescentando que a exoneração foi um pedido seu, sem especificar os motivos.

Gustavo Roweder