Fila para consultas, exames e cirurgias aumenta e alcança 68.538 em Jaraguá


Em dados divulgados no final do janeiro, os números totais de consultas, retornos, procedimentos e cirurgias revela que a fila de espera na saúde de Jaraguá do Sul está em constante crescimento e atinge 68.538 pessoas ou procedimentos.

A confirmação da elevação dos números está na comparação dos dados acessados em outros dois momentos do ano passado. Em junho de 2021, a fila alcançava o número de 65.712, passou para 67.901 em outubro e mais recentemente, em janeiro de 2002, chega a 68.538.

Entre os dados, chama atenção algumas informações relacionadas ao número de pessoas esperando consultas. Se destacam as filas de 2470 em Dermatologia, 2338 em Cardiologia, 2097 em Proctologia e 1144 em Angiologia. A fila de retorno também é preocupante, atingindo outras 3.003 pessoas em Urologia, 2.656 em Ortopedia, 1734 em Neurologia, 1662 em Dermatologia.

Na fila de exames e procedimentos cirúrgicos, destacam-se os números de 5365 pessoas na fila de ultrassom, 3355 em Angiologia, 1564 em Fisioterapia, 1069 em Tomografia e 821 em Ecocardiograma.

(Veja dados completos abaixo)

RESPOSTA DA SECRETARIA

O Jornalismo da RBN entrou em contato com a assessoria de imprensa, buscando explicações e justificativas para a situação da fila de espera. No entanto, não houve retorno até a publicação da reportagem.

ATUALIZAÇÃO – RESPOSTA DA PREFEITURA

Procurada pela reportagem da RBN, a Secretaria da Saúde informou, através da assessoria de imprensa, o crescimento expressivo na Fila da Saúde. A resposta da prefeitura aponta justificativas em quatro pontos.

O primeiro deles devido ao “aumento da procura pelos usuários que até então estavam evitando buscar os serviços, seja pela ausência deles, visto que muitas unidades estavam direcionadas para o enfrentamento, ou ainda por razões pessoais”.

O segundo ponto, segundo a Secretaria da Saúde, foi a entrada de muitos usuários que utilizavam planos de saúde, e em função de dificuldades econômicas, contenção de despesas ou desemprego, estão migrando para o atendimento público de saúde.

Outro motivo cogitado está relacionado ao recesso de fim de ano e a redução do atendimento nos laboratórios, hospitais e clinicas que deram férias de profissionais especialistas, reduzindo atendimentos e somente a partir de agora  estão repondo o quantitativo de vagas contratadas.

E por último, a assessoria destaca que está ocorrendo muitos cancelamentos de agendas em virtude da contaminação por covid de usuários e profissionais que prestam atendimento. Nesse caso, muitos procedimentos foram remarcados ou reagendados.

A nota da assessoria finaliza informando que o Poder público está articulando ampliações nas demandas mais críticas na tentativa de agilizar o tempo oportuno para o atendimento da população.