Jonathan Reinke preside última sessão no prédio “antigo” da Câmara


O Vereador e Secretário da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, Jonathan Reinke, assumiu a presidência e comandou os trabalhos na última sessão realizada no atual e agora antigo prédio da Câmara, na avenida Getúlio Vargas. Com o afastamento do presidente Onésimo Sell (PP) que assumiu a prefeitura interinamente, a vice-presidente Nina Camello (PP) tomou posse comandou a sessão de terça-feira. Como ela tinha compromissos anteriores agendados em Brasília, não se fez presente na sessão de quinta que marcou o último dia de trabalho nesse endereço.

No início da sessão, em função do polêmico projeto do ISSEM que voltava para a pauta, Reinke deu um aviso aos colegas. Ouça abaixo:

Em entrevista hoje para a RBN, Jonathan destacou que a sessão marcou o fim de um ciclo e foi uma honra ter comandado o encerramento dos trabalhos que foram realizados por mais de vinte anos no local. Ouça a avaliação de Jonathan abaixo:

O atual prédio foi negociado com a ACIJS na gestão do então Presidente Afonso Piazzera Netto por 380 mil reais. O local já era inadequado na época e ficou pior ao longo dos anos. Há mais de dez anos, as mesas diretoras têm debatido a possibilidade de uma nova sede, mas as discussões não evoluíram.

DA ASSESSORIA

A mudança de endereço da Câmara de Vereadores para o espaço alugado no Centro Universitário Católica de Santa Catarina, no bairro Rau, começa na próxima quinta-feira (7), logo após a sessão plenária. O local que receberá o Legislativo está sendo preparado ao longo do último mês para receber os servidores, com adaptações no plenário, nos gabinetes e nos demais setores administrativos e operacionais.

Nesta semana deve ser desligado o data center da Câmara, para ser transportado ao novo espaço. A partir do dia 11 de outubro começará o transporte de móveis e equipamentos da Avenida Getúlio Vargas para o novo espaço. Até que haja a adaptação completa ao local, as sessões devem ocorrer em formato remoto, por um período ainda a ser definido pela Presidência. O acordo entre as partes começou a valer na última sexta-feira (1), é válido por dois anos e reforça o compromisso da Câmara em regularizar o local de trabalho dos seus servidores, tema de Inquérito Civil Público liderado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC).

No mês de julho a Câmara recebeu notificação do MP-SC, dando um prazo de 15 dias para que fosse tomada alguma providência sobre a sede do Legislativo, na Avenida Getúlio Vargas. Desde então começaram as tratativas para encontrar um local que pudesse receber todos os setores de maneira adequada (Administrativo, Comunicação e Programas Institucionais, Jurídico e Legislativo, Tecnologia da Informação e os 11 gabinetes). “A Católica completou 48 anos em 2021 e acolhe, de braços abertos, os trabalhos da Câmara de Vereadores em seu campus. Mesmo sendo em caráter transitório, o Legislativo é acolhido dentro do simbolismo democrático, tão importante para um centro universitário”, afirma Anselmo Ramos, Presidente do Conselho da Fundação Educacional Regional Jaraguaense (Ferj), mantenedora da Católica de Santa Catarina.

O Presidente da Câmara, vereador Onésimo Sell (MDB), coloca ainda que o foco principal, agora, se volta para a preparação de uma sede própria para o Legislativo, já que o atual prédio foi adquirido da Associação Empresarial de Jaraguá do Sul e adaptado para o serviço público. “Com essa mudança, damos mais um passo para resolver esse grave problema que atrapalhava o Legislativo, que foi passando de gestão em gestão sem que houvesse uma mudança efetiva. Mesmo em caráter provisório, teremos boas instalações para desenvolver o trabalho da Câmara e resolveremos a situação com o Ministério Público. Agradeço à Católica de Santa Catarina pela parceria, que só será fortalecida durante o período em que lá estivermos”, disse o parlamentar.